Em 1932 Austrália declarou guerra contra os Emus

No Início do século XX ocorreu uma das guerras mais estranhas na história da humanidade. A Austrália declarou guerra contra os Emus.

Após a primeira guerra mundial, muitos ex-soldados australianos e britânicos tornaram agricultores na Austrália ocidental sobre a promessa do governo Australiano que a produção do trigo seria subsidiado. Algo que nunca chegaria a acontecer.
Em 1932, durante a “grande depressão” os terrenos de cultivo da Austrália ocidental foram invadidos por mais de 20,000 emus.

O emu é a maior ave nativa da austrália e migram todos os anos durante o período de reprodução. Os agricultores que já passaram dificuldades agora teriam de enfrentar uma horda de aves esfomeadas cujo prato preferido era seu produto de cultivo.

A “invasão” dos emus foi um sucesso e nada podiam fazer os agricultores para os impedir. Como a maioria dos agricultores tinham sido soldados durante a “grande guerra” pediram que o governo fornecesse Lewis guns (metralhadoras leves). Um acordo foi feito, os agricultores forneceram comida, abrigo e pagamento pelas munições em troca de duas metralhadoras, 10000 balas e alguns soldados. Esta decisão levou os media a chamar o acontecimento de “Emu war” (guerra contra os emu).

A primeira batalha foi um desastre para os Australianos. Os soldados encontraram um grupo de mais de cem emus juntos e decidiram que fariam uma emboscada com apenas uma das metralhadoras para pouparem munições.

Confiantes que seria uma vitória rápida a equipa da Lewis gun posicionaram-se perto dos emus e abriram fogo. Após apenas doze tiros a arma encravou que forneceu tempo suficiente para os emus dispersarem e escapar.

Após a derrota vergonhosa, os militares decidiram mudar de tática. Visto que os emus corriam bastante rápido, afixaram uma metralhadora a um carro e saíram para encontrar outro grupo de emus.

A segunda batalha foi mais uma derrota para os australianos, após os primeiros tiros os emus dispersaram iniciando a perseguição. Infelizmente o carro apenas podia seguir um emu de cada vez tornado o plano ineficaz além do facto que o homem que manuseava a metralhadora passou a maioria do tempo a tentar não ser ejetado do carro

 

Houve mais alguns encontros entre os militares e a força invasora mas o governo acabou por desistir e admitir a derrota. Após o gasto de 9860 balas os soldados apenas tinham morto 986 dos 20000 emus migratórias. Um ministro no parlamento perguntou se iriam entregar medalhas após a guerra, outro disse que as medalhas deveriam ser entregues aos emus. O Major Meredith (oficial militar da Austrália) num discurso sobre o acontecimento disse “Eles conseguem enfrentar as metralhadoras com a invulnerabilidade de tanques!”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *